O pescador do bem

Aos 27 anos, Flávio Duncan não é como a maioria das pessoas. Ele foi o mais jovem indicado ao Prêmio Nobel da Paz no ano passado. Criou o Pescador de Ideias, o primeiro grande portal de responsabilidade social do Brasil, que hoje só no Rio de Janeiro já reúne mais de 200 mil usuários cadastrados. E desde os 18 anos, desenvolve um trabalho social com moradores de rua, prostitutas, viciados. Já lançou dois livros e tem mais de 52 projetos sociais tramitando na prefeitura do Rio. Apesar do extenso currículo, Flávio quer seguir em frente e fazer cada vez mais.

Flávio esteve em mais de 11 bairros do Rio para conversar com moradores de rua

Flávio esteve em mais de 11 bairros do Rio para conversar com moradores de rua

Formado em jornalismo e cursando a segunda graduação em direito e marketing Flávio descobriu cedo que fazer política não é necessariamente se filiar a um partido e concorrer a cargos eletivos. “Tudo ao nosso redor é política. É complicado viver em uma sociedade sem estar envolvido com política. Acho graça das pessoas que se dizem apolíticos. Só o fato de se abster em opinar, já é concordar”, destaca. Ele, inclusive, se cobra pelas pessoas que não tem nenhum interesse real no bem político e afirma que a sociedade poderia fazer mais. “Ser célula ativa dentro da sociedade é imprescindível. Precisamos deixar de depositar a expectativa da resolução das coisas apenas nos poderes governamentais. A sociedade também precisa fazer seu papel, fiscalizando, apresentando propostas, discutindo”, argumenta.

O trabalho desenvolvido por Flávio vai muito além de conversas. Com a ajuda de voluntários, ele realiza o projeto Centro Itinerante de Capacitação Profissional, em quatro comunidades do Rio de Janeiro, incluindo Cidade de Deus e Terreirão. Segundo ele, primeiro é feito um diagnóstico com as associações de moradores para saber as demandas da comunidade e só depois são traçadas ações, começando por palestras.

O trabalho é desenvolvido pela organização não governamental que Flávio preside, que tem por objetivo implantar projetos de combate a vulnerabilidade social. “Passamos a atuar em todo o Rio de Janeiro. Meu sonho é fazer com que nossa corrente cresça tanto, a ponto de ter um pólo em cada Unidade da Federação”, afirma

Flávio também se preocupa em contagiar outras pessoas. Por isso, ele faz questão de participar de palestras em escolas, empresas, faculdades, entre outros. “Meu intuito é fazer com que outros Flávios Duncan surjam no meio do caminho. Não acho normal a gente se acostumar em saber que existe uma criança se prostituindo para usar droga ou uma pessoa sem comida, principalmente, quando é possível fazermos algo”, defende.

Uma das principais temáticas tratadas atualmente por Flávio é a questão das drogas, especialmente o crack. Segundo ele, a prefeitura não tem uma política objetiva de atendimento às pessoas. “Não adianta falarmos em internação compulsória sem reformularmos os equipamentos para tratar destas pessoas. Do contrario, estamos colocando pessoas apenas trancafiadas em balcões”, critica.

O uso de drogas também é muito freqüente em outro trabalho de Flávio. Durante meses, ele realizou uma pesquisa em 11 bairros do Rio com moradores de rua. O resultado disso está em seu livro Diários do Meio Fio, que traz depoimentos com mais de 500 pessoas que vivem nas ruas. Há trechos sobre maus tratos e condições precários dos equipamentos públicos de atendimento. O conteúdo, inclusive, serviu de base para uma denúncia no Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro.

Mesmo conhecendo de perto esta dura realidade, Flávio se diz extremamente otimista, principalmente com o auxílio e capilaridade das redes sociais. Flávio é idealista, sonhador, mas nem por causa disso deixa de agir. Flávio não fica em casa se lamentando da política, ele foi atrás de mudanças. Muitos o chamam de louco, mas se isso é ser louco, quero um mundo de gente muito maluca.

O mais engraçado é que as pessoas sempre acham que fazer algo é difícil, mas sabemos que basta começar.

Caso queiram acompanhar o trabalho dele:
Facebook: Flávio Duncan e twitter: @flavioduncan

Flávio foi personagem do Política do Bem em 2011. Relembre aqui.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

2 respostas para O pescador do bem

  1. Mel disse:

    Lekinha, sempre bom entrar aqui e ler seus posts. Beijos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s